“Em 10 de março de 2013, Brandon Knight morreu durante o jogo contra o Los Angeles Clippers. A causa diagnosticada foi Deandre Jordan”. Algum TROLL atualizou assim a página do Wikipédia sobre o jovem armador há dois anos e meio quando o pivô do Clippers deu uma enterrada monstruosa na sua cabeça. No lance, Jordan crava violentamente ao receber a bola de uma ponte-aérea. Knight ingenuamente tenta bloquear a bola, mas falha miseravelmente, e cai quase que em estado vegetativo de tanta humilhação.

Brandon-Knight-Wikipedia

O armador, na época ainda no Detroit Pistons, ainda se recuperava de outra vez que foi completamente destruído em quadra. No final de semana do All Star Game, Knight jogava na partida comemorativa entre calouros e jogadores do segundo ano na liga, quando Kyrie Irving, provavelmente o melhor ball handler da liga, meteu dois dribles desconcertantes nele. O primeiro ainda foi leve e Knight ‘só’ ficou de quatro depois da passada. O segundo, caralho, o segundo foi foda…

Os dois vídeos correram o mundo, como é de se esperar, e possivelmente qualquer pessoa que reconheceu o armador nas duas jogadas pensou: esse aí deve ser o jogador mais otário da história.

Coitado… O fato é que Brandon Knight nunca foi um mau jogador e de dois anos para cá ele tem se mostrado um dos armadores mais promissores da liga. O cara tem um perfil completamente low profile e sempre jogou por cidades com mercados mais discretos, o que o tira um pouco dos holofotes, mas é um dos poucos guards que consegue ter um bom arsenal ofensivo com arremessos, infiltrações e visão de jogo. É um combo guard que pensa antes em chutar a bola do que passar, mas mesmo assim consegue notar quando seus companheiros estão em boas condições para arremessar.

Além disso, tem uma envergadura gigantesca, que o ajuda nos rebotes (tem a excelente média para um armador de 4,5 por jogo). Não é um espetacular defensor, mas é voluntarioso. O ‘excesso de vontade’, inclusive, lhe rendeu aqueles dois highlights humilhantes – um risco que os maus marcadores ou defensores relaxados não correm.

BK31113

RASTEJA, SEU VERME

Uma medida do seu impacto positivo nas equipes: ano passado, o Milwaukee estava com 30v-23d antes da sua troca, com Knight. Depois de ser mandado para o Phoenix Suns, o Bucks teve uma campanha de 11v-18d.

Neste ano Jason Kidd, técnico do Bucks, disse que trocou Knight porque sabia que seria necessário oferecer um contrato máximo para ele e para o shooting guard Khris Middleton ao final da temporada, mas a equipe só tinha condições de apostar em um e decidiu pelo segundo.

No Suns, Knight formou uma dobradinha com o ‘mini Lebron’ Eric Bledsoe. Com um time discreto, mais uma vez a equipe do Arizona tem chances de beliscar uma vaga nos playoffs e o armador tem uma boa dose de responsabilidade nisso.

Mais do que isso: Knight começou a se redimir das vezes que foi trucidado. Semana passada deu uma entortada absurda em Marcelinho Huertas (SEMPRE ELE!).

Pela forma que vem jogando, é de se esperar mais highlights estrelados por Knight – sem ser o otário da vez.