De lenda nas quadras de rua de Nova York a maior jogador da história do campeonato chinês de basquete. Este é o mote do recém inaugurado museu em homenagem ao armador-peladeiro-vidaloka Stephon Marbury No caso de Stephon Marbury, construído pela prefeitura de Pequim.

Há cinco anos no país, o armador se tornou no maior embaixador da liga local. O carisma, o genuíno estilo streetball e as atuações fantásticas o transformaram num semi-deus da bola ao cesto oriental, a ponto de ganhar um museu inteiro que tem como única finalidade contar a sua trajetória como atleta e curiosidades sobre a sua vida.

Stephon já foi All Star na NBA, jogou demais pelo Minnesota Timberwolves, New Jersey Nets, Phoenix Suns e New York Knicks, além de ter sido um dos jogadores mais adorados ali na virada dos anos 2000. Era uma época em que Allen Iverson era a grande personalidade do basquete e todos os moleques queriam ser como ele. Marbury era mais um desta linhagem, o que rendia uma boa popularidade ao armador.

Para completar, o jogador criou uma linha de tênis populares chamados ‘Starbury’ (seu apelido), numa alusão à marca Air Jordan. A grande diferença estava no preço: um ‘sneaker’ da marca de Marbury era vendido a menos de 15 dólares, enquanto um tênis da marca de Jordan custava dez vezes mais. A sacada foi ótima, já que o basquete é o esporte da gurizada mais carente dos EUA – e que não tem grana pra comprar pares de tênis caríssimos.

hi-res-8f64fc452da36ce298f96d1726e168b3_crop_north

Lenda nas quadras de NY e na China

Na China, em busca de uma grana fácil, Marbury se tornou uma lenda. Já foi três vezes campeão nacional e registrou média de 45 pontos por jogo em uma das séries de playoffs, mesmo já próximo dos 40 anos. Tem sido a maior estrela de uma liga que atrai cada vez mais jogadores americanos que já tiveram algum sucesso – em um movimento parecido com o que acontece com o futebol chinês. As atuações já tinham rendido a Marbury uma estátua em frente ao ginásio do seu time e, agora, um museu em sua homenagem.

A atração conta com estátuas de cera do jogador, fotos históricas, tênis e uniformes usados pelo atleta ao longo da sua carreira. O museu não destaca só a passagem chinesa do atleta, mas também seu histórico pré-basquete profissional e seu período na NBA.