Terça-feira foi, possivelmente, o pior dia da história do Los Angeles Clippers. Na mesma tarde, o time recebeu os resultados dos exames de Chris Paul e Blake Griffin e descobriu que o armador ficaria de fora por tempo indeterminado e o ala estaria de fora dos playoffs. Os dois são os principais jogadores da franquia e a história mostra que sem os dois, as chances de sucesso do time nos playoffs caem vertiginosamente.

Durante a temporada, o time do Clippers ficou uns bons meses sem Blake Griffin e coincidiu justamente com a época em que a equipe jogou seu melhor basquete na temporada. Até criou-se a falsa impressão de que o LAC era um time melhor sem Griffin. Uma besteira. Uma coisa é o time engrenar no meio da temporada depois de uma reorganização na sua rotação – Clippers começou a temporada com um banco totalmente novo e foi peneirando ao longo dos meses quem seria útil ao time e quem não seria -, outra é dizer que a equipe melhora sem um de seus melhores jogadores. Na prática, o time se encaixou APESAR da ausência de Blake.

Mas ok, e mesmo que o time realmente ficasse melhor sem o ala, ou que então não fosse sentir tanto sua ausência, a franquia perdeu Chris Paul pelo menos para as próximas quatro semanas. Neste perído, o Los Angeles Clippers precisaria derrotar o Portland Trail Blazers e enfrentar uma série contra Golden State Warriors, simplesmente o melhor time da NBA.

Do lado angelino, até houve uma esperança de um confronto mais pau a pau com a divulgação do resultado dos exames de Stephen Curry e com a notícia de que ele ficaria pelo menos duas semanas no departamento médico, mas nove horas depois Chris Paul quebrou a mão no quarto jogo da série contra o Portland.

Agora, pelo bem do basquete e de uma série de playoffs minimamente competitiva, o ideal é que o Portland passe de vez. Clippers sem Paul é um time ruim, ruim mesmo. A produção de pontos da equipe a cada cem posses de bola sem o armador, pasmem, é a segunda pior da liga (na frente apenas do Sixers e ATRÁS DO LAKERS!). Imaginem o massacre de um time desses diante do Warriors?

160220005039-damian-lillard-golden-state-warriors-v-portland-trail-blazers.main-video-player

Lillard anotou 51 pontos na vitória contra o Warriors, em fevereiro

Portland é um time limitado mas que se mostrou cascudo. Enquanto os dois times estiveram inteiros, equilibrou as coisas contra o Clippers. Na temporada regular, venceu o Warriors uma vez e em outra oportunidade levou a disputa do jogo até os últimos minutos. Damian Lillard, inclusive, foi monstruoso nas duas partidas, chegando a ofuscar o quase sempre extraterrestre Stephen Curry.

Não acredito que o Portland possa superar o Warriors, mesmo com Curry fora de ação, mas acho que a competição fica um pouco mais acirrada. Afinal, a monotonia já deu o que tinha que dar neste primeiro round, certo?