Hoje é a sexta vez seguida que Lebron James entra em quadra para uma série final de playoff. É um feito do caralho! Não consigo conceber como tem gente que trata isso como um demérito. Na boa, chegar na final e perder para o San Antonio Spurs ou para o Golden State Warriors faz parte das circunstâncias, especialmente nas condições em que cada uma das três derrotas (só estou falando desta sequência desde 2011) aconteceu. Uma sequência destas com dois títulos – ou três, dependendo do resultado da disputa desta ano – é só uma confirmação como ele é um dos maiores de todos os tempos.

Só outros sete caras conseguiram o mesmo feito e são todos do Boston Celtics dos anos 50 e 60, quando a NBA era um campeonato semi-amador de apenas seis times – hoje são 30. Deste então, nem Jordan, nem Bird, nem Magic, nem Kobe, nem ninguém conseguiu tal feito.

O que se fala é que ser campeão no Leste é uma mamata. Até acho válido relativizar que chegar à final no Leste é um trabalho menos complicado do que no Oeste, mas acho que isso não faz sentido quando falamos de alguém que fez isso seis vezes seguidas.

lebronfinals

Único jogador nos últimos 40 anos a conseguir chegar a seis finais seguidas

Neste período, os times de Lebron enfrentaram umas pedreiras. Há cinco anos, Chicago Bulls e Boston Celtics eram tão fortes quanto o Miami Heat. Em 2013 e 2014, o Indiana Pacers era uma time acertado, construído exclusivamente para vencer o Heat e parar Lebron. Mesmo assim, deu Miami em todas as vezes.

Nos últimos dois anos, é verdade, o Cleveland não teve rivais à altura. Em parte pela qualidade da conferência, em parte pela soberania do time. Lebron e cia foram lá e confirmaram o favoritismo.

E tudo bem, mesmo que fosse ‘só a obrigação’ dele chegar às finais com os concorrentes que teve, ele foi capaz de cumprir com o seu dever. Nestas seis temporadas, muitos times que ‘tinham que chegar em tal lugar’ ficaram pelo caminho. Aquele Chicago de 2011 era um potencial finalista, o Spurs derrotado pelo Miami ‘era para ser’ campeão, entre tantos outros. O favoritismo só não é um fardo quando ele se confirma com a conquista.

Outra crítica, ainda mais absurda, é de que o aproveitamento é baixo. Primeiro que levando em conta só a sequência, são seis finais seguidas e duas vitórias (com a possibilidade de uma terceira neste ano). Isso é pouco? Ainda mais se considerando que são, geralmente, as duas melhores equipes da temporada frente a frente. Faz parte do jogo ganhar, faz parte perder.

Em todo caso, acho só que a única final desta série em que Lebron fracassou mesmo foi a primeira, contra o Dallas Mavericks. O time do Miami Heat era melhor e Lebron jogou muito aquém do que se esperava. De resto, ganhando ou perdendo, James foi absurdo.

Ano passado foi, por exemplo, a melhor apresentação individual de um jogador nas finais em muitos anos, a ponto dele ser cogitado como MVP das Finais MESMO PERDENDO – algo que só aconteceu uma vez na história, com Jerry West. E de memória, a última vez que um time tão fraco jogou uma série final (considerando o elenco em quadra, sem contar os lesionados) foi o mesmo Cavaliers do mesmo Lebron contra o Spurs, em 2007.

Esse papo de pipocar, sinceramente, não faz o menor sentido. É desmerecer completamente o time vencedor e não entender que basquete é um jogo de dois times, um querendo vencer o outro.

Eu não acho que Lebron vá conseguir ganhar neste ano e nem por isso acho que vai ser um fracasso. Pelo contrário: seis finais seguidas é um mérito gigantesco.

CompartilheShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on Reddit0Share on LinkedIn0Email this to someone