A offseason começou quente! Ainda não foi oficializado junto à liga, mas se Adrian Wojnarowski cravou é porque é quente: Derrick Rose foi trocado para o New York Knicks. A temporada de trocas nem começou oficialmente, mas Chicago Bulls e Knicks já trataram de fechar uma blockbuster. O negócio envolve a ida de Rose, Justin Holiday e uma escolha de segundo round no ano que vem para Nova York. Em troca, Chicago recebe Robin Lopez, Jose Calderon e Jerian Grant.

Eu não vou analisar todas as trocas individualmente, a minha ideia é falar somente das mais significativas, mas esta aqui não dava para deixar passar. Basicamente esta troca já nos dá uma das grandes histórias da próxima temporada: duas das estrelas mais desacreditadas desta geração se reúnem em um time historicamente desacreditado. Só por isso, independente da troca dar certo ou não, eu já gostei muito do negócio.

Mas, analisando a troca e a perspectiva futura dos envolvidos, eu acho que existe uma chance bacana de dar bem certo para todo mundo. O New York Knicks tem espaço para assinar algum jogador interessante nesta offseason, mas nunca que pegaria Kevin Durant. No melhor cenário possível, ficaria com Mike Conley, que é um bom jogador, mas não o suficiente para elevar o status da franquia de imediato. Com o elenco que estava, não valia a pena tentar Dwight Howard, Al Horford ou Joakim Noah, já que o time estava bem carregado de jogadores no garrafão.

Ir atrás de Rose resolve bem a offseason do time e direciona quem serão os próximos alvos da franquia. Mandou Calderon, um armador já veterano que não rende mais o suficiente para ser titular em um time meia boca, e abriu mão de Robin Lopez, um pivô bom, e Jerian Grant, um armador que vai para seu segundo ano de NBA. Agora, o time já conseguiu um armador titular de calibre e tem espaço para buscar, se quiser, um dos pivôs veteranos que estão dando sopa no mercado. Imagina se pega Dwight Howard, outro cara que perdeu completamente o crédito ao longo dos últimos anos e que todo mundo duvida que ainda possa render alguma coisa? Que história!

Sobre Derrick e seu futuro no time. Ele já jogou muito, era um insano, craque, MVP mais novo da história, mas depois de todas as lesões que teve na carreira, joga com o freio de mão puxado. Parece psicológico. Não dá para confiar que ele possa carregar um time nas costas, que era o que se esperava dele em Chicago – Jimmy Butler já era o melhor jogador, mas seu estilo low-profile não é de quem carrega uma franquia, ainda mais sob a sombra do que Rose já tinha sido para a franquia.

No Knicks, Rose chega para ser o terceiro jogador do time. Carmelo ainda é o líder e Porzingis é o futuro do time. O ex-MVP é um cano de escape, apenas a terceira opção do time. Quem sabe assim, sem toda aquela pressão, Rose volte a ser mais constante – não acredito que vá ser um craque novamente, mas pode deixar de ser um peso para ser um jogador que contribua.

nba_NNAj7eL

Knicks anunciou a troca nas redes sociais na tarde desta quarta-feira

O desafio vai ser fazer o armador jogar sem a bola na mão. Carmelo é o típico cara que monopoliza o domínio da bola e Rose sempre se mostrou meio preguiçoso para aparecer ‘off the ball’. Mesmo assim, sendo bem otimista, acho que é a chance de reunir veteranos com orgulho ferido e montar um time competitivo para a temporada – e como disse acima, torço demais para que Dwight chegue para completar o cenário perfeito de ‘all in’ da franquia. Essa reunião seria a cara do Knicks dos últimos 20 anos, só que com alguma chance de dar certo. Estou confiante nisso.

Sob o aspecto do Chicago Bulls, acho que era inevitável. Rose era uma bigorna de 20 milhões de dólares ao ano no meio da sala em Illinois. Não dava para ele assumir outro papel no time. Tinha que voltar a ser aquele MVP de antes ou sair fora. O time vai se desmanchar e o único que deve ficar é Jimmy Butler, que já tinha criticado publicamente a falta de comprometimento de Rose com o time.

Com o excesso de armadores no mercado e a falta de credibilidade de Rose, parecia difícil o Bulls conseguir algo decente em troca. Diante deste cenário, a troca não foi ruim. Robin Lopez é uma reedição mais saudável de Joakim Noah e Jose Calderon é um armador que pode contribuir de imediato. Muita gente se animou com Jerian Grant, mas eu sinceramente não espero muita coisa do jogador. Só está em seu segundo ano na liga e já vai fazer 24 anos (mesma idade de Kyrie Irving, para ter ideia). É a hora da reconstrução do elenco. Pode ser que mais trocas pintem para o time até a hora do draft.

CompartilheShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on Reddit0Share on LinkedIn0Email this to someone