O principal alvo de todos os times nesta offseason é Kevin Durant. O jogador é a grande estrela sem contrato neste período e é por ele que todos os times vão buscar. Lebron James, por exemplo, também teve seu contrato finalizado, mas o jogador virou free agent só para poder assinar um novo contrato máximo com o Cleveland Cavaliers. Já o caso de Durant é diferente: o jogador teve seu contrato encerrado e admitiu que vai ouvir propostas de outros times para decidir onde é que vai jogar no futuro.

Além de ouvir a proposta do seu time atual, o Oklahoma City Thunder, Kevin vai se reunir também com o Golden State Warriors, San Antonio Spurs, Los Angeles Clippers, Boston Celtics e Miami Heat, podendo acrescentar o New York Knicks na lista.

Cada time tem um trunfo e cabe a Durant decidir qual a sua prioridade na carreira. Dos mais improváveis, Miami Heat oferece uma franquia que sempre disputa a parte de cima da tabela e uma cidade que cobra muito menos impostos do que as outras regiões dos EUA. Boston coloca à disposição de Durant uma franquia tradicional com um futuro brilhante pela frente. Knicks tem um time ferido na maior cidade do mundo ao dispor de KD e Clippers tem um time muito competitivo que está tão sedento por vitórias como o próprio ala. São todas propostas legais, mas fáceis de bater.

As mais sedutoras mesmo são as ofertas do Spurs, Warriors e do próprio Thunder. Foram os três principais times da conferência Oeste na temporada e entram no campeonato já com totais condições de lutar pelo título. Spurs e Warriors, inclusive, foram campeões nos últimos três anos e já contam com elencos fortíssimos. Basta um OK de Durant para que os times façam uma limpa nos seus coadjuvantes em busca de espaço na folha para assinar com o ala. Se Durant quer um título, as duas franquias são opções excelentes.

Apesar disso tudo, eu acredito que o jogador vá ficar em Oklahoma. Eu ficaria, se fosse ele.

Para começar, o time esteve muito perto de eliminar o Golden State Warriors na final da conferência. Fosse para a final, imagino que faria um confronto muito equilibrado, mas com chances de vitória, com o Cleveland Cavaliers. Além do mais, nas últimas semanas a franquia foi buscar Victor Oladipo no Orlando Magic, em um claro sinal de que pode construir ao redor de Durant um time ainda mais forte.

Outro ponto fundamental é a vantagem contratual que o Thunder tem. Por ser o time atual de Durant, o time pode oferecer um contrato de cinco anos com progressão de 7,5% ao ano – os outros times só podem oferecer 4,5% de aumento anual.

Mesmo que assine um contrato de só um ano agora, para poder assinar na próxima temporada pelo novo máximo (os salários firmados na próxima offseason poderão ser ainda maiores por causa do novo aumento do limite que entrará em vigor em 2017), uma vínculo com o OKC no longo prazo pode render uma média de 40 milhões por ano – em outro time, o máximo que ele pode ganhar na média é 36,9 milhões por ano, uma diferença considerável.

grafico kd

Mas, tudo bem, vá lá, vamos imaginar que Kevin Durant é o novo Dalai Lama, não se importa com dinheiro nem com títulos, só quer mesmo ser feliz e ser amado. Não vejo maneira melhor de conseguir isso do que se dedicando inteiramente a um único uniforme ao longo de toda a carreira. Magic Johnson e Kobe Bryant são reis em Los Angeles. Larry Bird tem status divino em Boston. Tim Duncan é uma instituição do San Antonio Spurs.

Até mesmo quem nunca ganhou nada acaba sendo visto de outra forma se passou a vida inteira em um mesmo time. Pergunte para um torcedor do Indiana Pacers se trocava Reggie Miller por qualquer jogador na história e tenha a certeza que vestir um uniforme só na carreira é um esforço que vale a pena.

Por tudo isso, eu acho que Durant assina um contrato de um um ano e na temporada seguinte renovava com o Oklahoma City Thunder. Se eu fosse ele, pelo menos, eu faria isso.

CompartilheShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on Reddit0Share on LinkedIn0Email this to someone