Há muitos anos o Dallas Mavericks consegue se mostrar uma franquia competitiva. Só deixou de ir aos playoffs na última década por capricho do destino e pela competitividade absurda da conferência Oeste. Mesmo nestes anos, não deixou de ter times relativamente fortes. No entanto, a incompetência do front office em renovar de vez seu elenco tem sido tão grande quanto sua vontade: todos os anos o Dallas coloca como meta seduzir os principais free agents do mercado e todos os anos falham neste objetivo.

Neste ano, Mike Conley flertou com Dallas, mas renovou com o Memphis. Hassan Whiteside foi muito falado, mas confirmou que ficaria em Miami. Por último, Chandler Parsons menosprezou a franquia e desembarcou em Memphis. Restou ao Mavs assinar com Harrison Barnes, jogador com desempenho mais decepcionante das finais, e apadrinhas Andrew Bogut, pivô útil, mas que tem tempo limitado em quadra. Some-se a isso a presença cada vez menos confiável de Deron Williams e temos um cenário bastante instável para o Dallas.

O trunfo do time é Dirk Nowitzki que, mesmo aos 38 anos, ainda consegue dar um caldo e reinventar seu modo de jogar. Mas será que ele aguenta, mais uma vez, colocar o time nas costas e elevar o poder de fogo do Mavs?

Dirk é um cara extremamente técnico e seu jogo não depende exclusivamente da sua primazia física. O grande problema é que é natural uma decadência no seu basquete. No Oeste, como eu insisto em dizer em todos os posts, não basta ter um time bom, completinho. É necessário ter um conjunto de craques ou uma equipe muito bem azeitada.

Neste estágio, acho que o Mavericks está a um passo disso – o que não é desastroso, mas é o suficiente para colocar o sucesso do time em risco. E Nowitzki, o grande cara do time, não tem mais pique para carregar a equipe inteira nas costas.

tireddirkbrendan-maloney-usa-today-sports

Offseason
A história é a mesma há anos. Dallas demonstra interesse em algum grande nome do mercado, que chega, conversa com a franquia, flerta com o time, quase assina, mas acaba tomando outro rumo. Aconteceu novamente neste ano. No final das contas, o Mavs até conseguiu assinar com bons nomes (Bogut e Barnes), mas que funcionam muito mais como excelentes coadjuvantes do que propriamente jogadores capazes de mudar os rumos de um clube.

Time provável
PG – Deron Williams / JJ Barea / Devin Harris
SG – Wesley Matthews / Seth Curry
SF – Harrison Barnes / Justin Anderson
PF – Dirk Nowitzki / Dwight Powell / Quincy Acy
C – Andrew Bogut / Salah Mejri

Expectativas
Mesmo em momentos de baixa, a história me ensinou que é errado apostar contra o Dallas Mavericks – especialmente depois que o excelente Rick Carlisle chegou ao time. Mesmo assim vou correr este risco. Acho que a equipe fica no quase no Oeste, atrás de Utah, Portland e Houston na luta pelas últimas vagas dos playoffs.