Toda temporada tem dessas, eu sei, mas parece que esta é especial neste sentido: muitos times e jogadores entrarão em quadra para provar algo que os atormenta. Mais do que o jogo em si, uma tese precisará se confirmar, um mito terá que ser desmentido ou um tabu precisa ser quebrado. Olhando assim para a temporada, antes das coisas começarem, parece que vai haver uma redefinição de papéis a partir do que acontecer na disputa.

A principal destas histórias é a confirmação do favoritismo do Golden State Warriors. Depois de tudo que aconteceu, o time já tinha a obrigação de vencer na temporada passada sob risco de colocar em cheque todos os feitos impressionantes alcançados ao longo do ano – o principal deles, o recorde de 73 vitórias na temporada regular. O time teve números de melhor de todos os tempos e entrou na discussão sobre a melhor equipe de todos os tempos. Mas perdeu e quase tudo foi colocado por água abaixo.

Agora, o time volta a chamar toda a responsabilidade com a contratação de Kevin Durant, incontestavelmente um dos cinco melhores jogadores da atualidade. O time que já era espetacular ficou ainda melhor. Ainda por cima, atraiu Durant justamente pelas suas chances de vencer logo de cara e construir uma dinastia ao seu redor. Se não ganhar, vai parecer que muita coisa foi feita a troco de nada. Não há outra opção, só o titulo interessa para provar que tudo isso teve um propósito justificável.

Steph Curry

A outra grande história da temporada vai ser Russell Westbrook, o jogador que restou em Oklahoma, mostrar que não depende de Durant para ser competitivo. Que pode ser o líder de um time. Que o Thunder pode ser uma franquia forte, que habite o topo da tabela, com ele.

Enquanto Russell e Kevin eram uma dupla, sempre existiu a desconfiança acerca do jogo do armador. Sobre o quanto era eficiente. O quanto as stats avassaladoras faziam bem ao time e não somente a ele mesmo. Agora será possível tirar a prova.

Mas há muito mais coisas em jogo. O San Antonio Spurs vai poder mostrar se é uma franquia vencedora independente do seu maior jogador de todos os tempos, Tim Duncan, que venceu todos os cinco títulos do time. Vai poder provar se sabe fazer uma reconstrução sem recaídas, como parece.

O Los Angeles Clippers vai poder mostrar para todo mundo que unir Doc Rivers, Chris Paul, Blake Griffin e companhia forma um time vencedor, sim. Que é tão forte quanto seus principais concorrentes.

Houston Rockets precisará provar que sabe defender – ou que pode vencer sem defender. Boston Celtics, que melhorou. Dallas e Memphis, que não pioraram.

Dwight Howard tem que mostrar que ainda é útil. Anthony Davis e Joel Embiid, que são saudáveis. Curry, Durant e Thompson, que podem coexistir. Wade, Butler e Rondo idem.

Vish, tem muita coisa em jogo…

Só o Cleveland Cavaliers e Lebron James que não precisam convencer mais ninguém de nada. O Cavs já tirou o enorme peso das costas com o título da temporada passada em uma virada incrível. Lebron já se consolidou como um dos maiores da história – se alguém ainda é louco e não se convenceu disso, não vai ser mais uma campanha absoluta que vai fazer mudar de ideia.

Quem comecem as provações.