Sem recordes, sem marcas a bater, sem oba-oba. A derrota na estreia do novo Golden State Warriors não é nada alarmante, mas sinaliza que o primeiro objetivo da equipe é encontrar uma nova identidade. Na primeira partida do campeonato, em casa, onde na temporada passada só foi derrotada uma vez e era quase imbatível nas últimas duas temporadas, o GSW foi derrotado com certa facilidade pelo San Antonio Spurs.

Mais preocupante do que o resultado, foi a diferença de performance em relação ao que era jogado pelo time anteriormente, com desempenhos ruins nos chutes de fora e nos rebotes, duas características muito fortes do Warriors campeão de 2015 e vice de 2016.

O time da casa arremessou 33 bolas de fora do arco e só acertou 7. Um aproveitamento que, se já é ruim nos números, fica ainda pior nas circunstâncias em que aconteceram, já que praticamente metade deles nem foram contestados pela defesa. Era de se esperar que com liberdade para pensar e agir, Curry, Thompson, Durant e Green acertassem mais – afinal, quem errava mil bolas livre era Harrison Barnes, que foi despachado da franquia.

Aproveitamento do Warriors nos arremessos de três

Aproveitamento do Warriors nos arremessos de três

O Warriors também foi massacrado nos rebotes. No geral, o Spurs agarrou 55 deles e o Golden State apenas 35. Aproveitamento baixo nos chutes e falta de rebotes é a receita certa da derrota. Nos pontos de segunda chance, gerados por rebotes ofensivos, a diferença foi ainda mais brutal: 24 a 4 para o San Antonio.

Em resumo, o Spurs até errava, mas recuperava metade das bolas no ataque. O Golden State também errava, mas não conseguia recuperar a posse da pelota.

Ainda que não dê para supervalorizar estes números – é apenas um jogo, o banco do Spurs estava muito inspirado, o do Warriors não -, indica que o Golden State precisa se acertar, especialmente para suprir a ausência de Andrew Bogut. O jogador tinha uma importância fundamental para impedir a recuperação de bola do adversário, por exemplo. Seus suplentes, Pachulia e West, pegaram 4 rebotes em 30 minutos jogados.

currygasol

A falta de rebotes no ataque também me parece um sintoma de um time que tem muitos chutadores abertos (Curry, Durant, Thompson e às vezes Green). Posicionados assim, fica quase impossível recuperar os chutes errados – e tem dias que a bola não cai mesmo.

De positivo, eu vejo a atitude assassina de Kevin Durant no novo uniforme. Se alguém imaginava uma versão mais tímida do jogador em um time estrelado (eu era um deles), estava enganado. Nos primeiros minutos de jogo, Durant ja mostrou que chegou para ser o dono do time. Chutou tudo que podia, lutou pela bola, marcou, deu toco.

Talvez seja o caso do restante do time se adaptar às novas funções. Green mesclar melhor os bloqueios no ataque para tentar livrar Thompson da marcação, se afundar no garrafão para brigar pela bola. Curry se movimentar para o fundo da quadra ao invés de transitar no topo do arco de três.

O estranhamento com os novos papéis é natural, afinal, dois titulares importantes da equipe não estão mais por lá. Dois jogadores que eram especialistas em algumas funções bem específicas.

Então, antes de qualquer coisa, o Golden State precisa se acostumar com sua nova formação. Este começo será tempo de reafirmar em alguns aspectos do jogo, reencontrar sua identidade.

CompartilheShare on Facebook389Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on Reddit0Share on LinkedIn0Email this to someone