GM do Raptors agradece Trump por “fazer Toronto um destino inacreditável” para jogadores

Ninguém sabe realmente como será o mandato de Donald Trump como presidente dos EUA, se ele vai realmente fazer tudo que prometeu em campanha e colocar em prática suas ideias completamente atrozes no que diz respeito às minorias ou se falava tudo aquilo para ganhar simpatia de uma parcela da população.

Ainda que a primeira alternativa assuste muita gente, há quem lide bem com essa possibilidade. No dia seguinte da confirmação do milionário como vencedor das eleições, o General Manager do Toronto Raptors, Masai Ujiri, comemorou o possível cenário inóspito para algumas pessoas. Segundo ele, a chegada de Trump ao poder faz de Toronto, única cidade com time da NBA fora do território americano, um destino desejado pelos jogadores.

No que diz respeito as assuntos de inclusão e aceitação das minorias, ultrapassar a fronteira entre os dois países é ir de um extremo ao outro. Enquanto Trump coleciona declarações intolerantes, racistas, misóginas, homofóbicas e preconceituosas, o presidente canadense, Justin Trudeau, virou quase que um símbolo de um governo inclusivo, aberto às diferenças.

Outro contraste é quanto a aceitação de estrangeiros. Uma das propostas mais emblemáticas de Trump era a surreal construção de um muro na fronteira do país com o México, além da implacável perseguição aos imigrantes ilegais. Já o governo de Trudeau anunciou nesta semana que pretende bater recordes de acolhimento de estrangeiros e, sobretudo, refugiados por ano.

Pode parecer brincadeira, mas no momento em que Trump foi confirmado como presidente dos EUA, o tráfego de pessoas que navegavam no site da imigração canadense aumentou de tal maneira que o portal caiu várias vezes ao longo do dia.

Se esta tendência se confirmasse na NBA, representaria uma mudança brutal para a franquia de Toronto. O Raptors não é um time conhecido por atrair free agents muito disputados. A renovação de Demar Derozan, quando era um dos jogadores mais assediados da offseason, foi histórica.

Uma das maiores aquisições da história da franquia foi o ala Demarr Carroll – que é um bom jogador, saiu valorizado do Atlanta Hawks, mas é apenas Demarre Carroll. De resto, Toronto tem sido um destino frequente de atletas em ascensão, mas que despertam alguma dúvida das franquias com maior poder de barganha.

Pelos próximos quatro anos, pelo menos, Toronto tem uma cartada exclusiva na manga. Pode funcionar.

Previous

O povo não gosta de vencer, gosta é de comer de graça

Next

Embiid inventou que matou um leão aos 6 anos de idade e seus companheiros de time acreditaram

1 Comment

  1. Anonimo

    Meu querido, o muro ja existe desde o governo Clinton e a caça aos imigrantes ja existia no governo Obama, então menos politica e mais bball

Leave a Reply

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén