Quase não há meio termo com Draymond Green. O jogador é detestado por boa parte dos torcedores e amado pela outra parcela. Há quem ache ele sujo demais e falastrão além da conta. Do outro lado, é considerado o último representante do jogo duro e um dos jogadores mais completos da liga. É difícil achar alguém que pondere os aspectos positivos e negativos para fazer seu julgamento sobre Green. Em geral, ele é considerado ou uma coisa só ou outra.

Essa polaridade de opiniões tem custado a Draymond Green o reconhecimento que, segundo suas declarações, ele considera mais importante a respeito do seu jogo: o posto de melhor defensor da liga.

Difícil dizer se ele é O MELHOR mesmo. Se de um modo geral no ataque, em que temos centenas de estatísticas e métricas precisas, já é foda cravar categoricamente quem é o melhor jogador, na defesa este trabalho é ainda mais árduo.

Em todo caso, este clima de “ame ou odeie” em relação a Green já custou a ele um título de Defensive Player of the Year – nos últimos dois anos, ele ficou em segundo, atrás de Kawhi Leonard. Ainda que Kawhi seja um monstro também e mereça os títulos, em 2014/2015, Draymond foi o melhor jogador de defesa do melhor time defensivamente da liga – assim como Leonard esteve nesta situação na temporada passada.

150607232931-20150607-botn-00002201-1280x720

Naquela oportunidade, Green chegou a receber mais votos para ser eleito o melhor defensor da NBA, mas como a premiação soma a pontuação das escolhas de primeiro, segundo e terceiro lugar, Kawhi acabou levando o troféu na somatória dos pontos. Enquanto a maioria dos jornalistas achou que o jogador do Warriors era o melhor defensor da NBA, quase um terço não se dignou a colocá-lo nem no top3 – um sinal claro do quanto Green divide opiniões.

O início de temporada e, principalmente, a mudança no plantel dos times sinaliza que este pode ser o ano em que Draymond vai superar esta polarização e vir a ser reconhecido como o melhor jogador de defesa da NBA – pelo menos ganhar o título de DPOY.

A chegada de Kevin Durant ao Warriors redefiniu os papéis de cada jogador do time. As prioridades no ataque e na defesa foram revistos e coube a Draymond Green assumir boa parte das responsabilidades defensivas de Andrew Bogut e Harrison Barnes.

Green está no top 10 em tocos e assistências, além de seu time conseguir segurar o ataque rival em 6 pontos abaixo da média a cada 100 posses quando ele está em quadra – uma média excelente. Foi ele que desmanchou a última jogada do Milwaukee Bucks na prorrogação do jogo de sábado. E é ele quem tem segurado as pontas lá atrás para o Golden State se manter como o ataque mais letal da liga.

Kawhi, ainda que continue sendo o melhor defensor da liga ao seu lado, tem outras preocupações nesta temporada, já que virou o principal jogador do Spurs nos dois lados da quadra. Uma condição que pode tirar o foco dos ‘eleitores’ do título de DPOY de Kawhi e migrar para Green.

Claro, tem muita coisa para rolar. Rudy Gobert e Deadre Jordan vem tão fortes quando Draymond nesta briga – mas acho que o ala tem a vantagem de ser mais versátil e defender qualquer posição na quadra.

Em todo caso, tudo se desenha para que este seja o ano que Green mais tem condições de se consagrar como o melhor defensor da liga, apesar dos haters.

CompartilheShare on Facebook978Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on Reddit0Share on LinkedIn0Email this to someone