Jogo 1 – Seg. Maio 1 Raptors @ Cavaliers, 20h
Jogo 2 – Qua. Maio 3 Raptors @ Cavaliers, 20h
Jogo 3  – Qui. Maio 5 Cavaliers @ Raptors, 20h
Jogo 4 – Dom. Maio 7 Cavaliers @ Raptors, 16h30
Jogo 5 – Qua. Maio 9 Raptors @ Cavaliers, se necessário
Jogo 6 – Sex. Maio 11 Cavaliers @ Raptors, se necessário
Jogo 7 – Seg. Maio 14 Raptors @ Cavaliers, se necessário

Confrontos na temporada regular: 3×1

Palpite: Cavaliers em 6

O Toronto Raptors passou a temporada inteira esperando por este momento. Foi ao mercado, sondou dezenas de jogadores, trocou e se reforçou pensando no reencontro com o Cleveland Cavaliers. De fato, o time está mais forte e preparado para enfrentar o atual campeão, especialmente se compararmos com o embate do ano passado – quando o Cleveland levou numa boa, em banho maria, até mesmo nas duas derrotas.

Agora, o Toronto tem Serge Ibaka e PJ Tuckers, dois bons defensores que têm como habilidade principal a capacidade de defender tanto dentro do garrafão, como no perímetro, bloqueando o pick and roll adversário e atrapalhando os chutes de três. Este último, o mais importante deles, já que Kevin Love, Richard Jefferson e Channing Frye, jogadores que colaboram lá dentro da área pintada, são ameaças maiores ainda nos chutes de longe.

Apesar disso, o Raptors não demonstrou ter cacife suficiente para bater o time de Lebron James – sim, porque ser o time dele faz muita diferença quando o assunto é playoffs da conferência Leste. O Cavs continua tendo um ataque poderosíssimo e mostrou que as maiores deficiências da temporada regular (defesa fraca, especialmente) eram fruto mais do desinteresse do time na maratona de jogos que valiam pouca coisa do que de falta de qualidade.

Kyrie Irving e Lebron James, quando inspirados, são praticamente imparáveis. Poucas defesas estão preparadas para enfrentar ambos no volume de jogo que estão tendo neste mata-mata – foi o que aconteceu diversas vezes contra o Pacers no primeiro round, quando o time estava atrás no placar e a dupla (ou um dos dois) acordava para a partida a virava o jogo.

O elenco de apoio do Cavs também se reforçou e é ligeiramente mais talentoso e experiente que o do Raps. Deron Williams, JR Smith e Kyle Korver podem fornecer um poder de fogo para o qual o Toronto não está preparado.

Outra coisa que pega para o time canadense, é que a principal dupla da franquia parece incapaz de jogar bem ao  mesmo tempo em jogos decisivos. Dá para contar nos dedos as partidas em que Demar Derozan e Kyle Lowry foram muito bem juntos. Se conseguirem, pode ser que renda uma disputa mais equilibrada contra o campeão.