Os playoffs não foram nada empolgantes. Tudo muito previsível, muitas lavadas, algumas varridas e uma dose bem tímida de emoção. O cúmulo deste ano é que a temporada regular, uma maratona interminável que se arrasta por meses a fio, pode ter sido mais empolgante do que os três primeiros rounds do mata-mata. Mas a esperança é que tudo isso seja recompensado nas próximas duas semanas de disputa entre Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers.

É a primeira vez que dois times se enfrentam três vezes seguidas nas finais da NBA, num prenúncio do que pode vir a ser lembrado no futuro como uma das grandes rivalidades de todos os tempos, como foi Boston Celtics x Los Angeles Lakers nos anos 60 e 80, Lakers x Knicks nos anos 70 e Bulls x Jazz nos anos 90.

Até o enredo para que os dois times se enfrentassem neste ano parece que foi cuidadosamente escrito para que esta final funcionasse como um tira-teima definitivo. Há dois anos o Golden State Warriors venceu um Cleveland Cavaliers desfalcado, mas com Lebron James endiabrado, numa das melhores performances individuais da história das finais. Ano passado foi a vez do troco do Cavs, completo, vencer de virada o GSW, que tinha batido todos os recordes possíveis de vitórias, mas que chegou na finalíssima com Stephen Curry baleado e que perdeu Draymond Green, suspenso, em um jogo chave.

Emocionalmente, esta final acontece numa paridade mais justa do que as duas últimas. Lógico que seria bom para Golden State e Cleveland vencer mais um título, mas o esquema do primeiro já se afirmou como uma tendência e a sina do segundo de nunca vencer nada já escorreu pelo ralo. Ambos, já tiraram o peso das suas costas quando ganharam seus respectivos anéis.

Agora, os dois times chegam reforçados (o Golden State ainda mais, com a chegada de Kevin Durant, discutivelmente o segundo melhor jogador de basquete da atualidade), inteiros e no auge da confiança. A princípio, se tudo correr bem, será a prova definitiva, dentro de quadra, de qual time é melhor.

E mesmo que a série comece eventualmente desequilibrada, que um time abra 2 a 0 logo de cara, que os primeiros jogos sejam de lava para um dos lados, o histórico das equipes e do confronto nos dão alento que nada estará definido até que Cavs ou Warriors vençam quatro partidas – ano passado serve como exemplo, quando o Golden State teve duas vitórias fáceis logo de cara, chegou a abrir 3 a 1 e mesmo assim a disputa acabou só sendo definida no último minuto do jogo 7.

Aliás, tudo o que se espera é que a série seja novamente decidida no último minuto do jogo 7.

CompartilheShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on Reddit0Share on LinkedIn0Email this to someone