Foi-se o tempo que o Toronto Raptors era a segunda força disparada do Leste, atrás somente do Cleveland Cavaliers. Há duas temporadas, quando isso aconteceu, o time canadense e a equipe de Lebron James brigaram cabeça a cabeça pela liderança da conferência e o Cavs acabou com uma vitória de vantagem – já o Toronto ficou com oito vitórias de folga em relação ao terceiro colocado, um gap igual ao que separava este mesmo terceiro do nono time do Leste.

Nos playoffs, o Raptors não sobrou tanto assim. Enquanto o Cavs confirmava o favoritismo e varria Deus e o mundo, o Toronto precisou de dois 4 a 3 para perder a virgindade e alcançar a primeira final de conferência da sua história. No confronto contra o Cleveland, o Raptors ainda conseguiu descolar duas vitórias para reforçar que era o único time do Leste capaz de provocar alguma dor de cabeça ao futuro campeão.

Desde então, duas offseasons e uma temporada inteira passadas, a impressão que dá é que a oportunidade do Toronto Raptors dar um passo à frente e chegar a uma final da NBA está cada vez mais distante.

O Cleveland parece que tomou corpo e, mesmo que na temporada regular tenha performances parecidas, é um dos poucos times do Leste que mostra ter cacife e culhões para enfrentar um time do Oeste em igualdade de condições em um mata-mata. Com isso, parece que se distanciou do Raptors.

Neste meio tempo, o Toronto também viu o Washington Wizards evoluir seus jogadores e mostrar o quão letal pode ser nos playoffs. Viu o Boston Celtics se reforçar, ultrapassá-lo e se transformar em um aspirante a supertime. Já sente, até, a respiração no cangote do Milwaukee Bucks, com uma turma jovem melhorando ano após ano.

Enquanto isso, pouca coisa mudou na franquia. A espinha dorsal é a mesma, baseada exclusivamente na qualidade do seu backcourt – enquanto todos os times do seu mesmo nível se reforçaram.

Dos principais jogadores, exceto por Demar Derozan, que notoriamente conseguiu evoluir e dá sinais de que pode atingir o ápice da sua qualidade técnica nesta temporada, os prognósticos mais prováveis não são os mais otimistas.

Lowry é excelente, mas chega aos 32 anos nesta temporada – uma barreira que via de regra marca a queda de rendimento de point guards – vindo de um ano em que foi atormentado por lesões.

Jonas Valanciunas, que tem só 25 anos, parece que estacionou no processo de evolução há três temporadas. Seus números não melhoraram e sua atuação em quadra diminuiu. Enquanto a NBA vê pivôs cada vez mais versáteis, o lituano cada vez mais se mostra um especialista em habilidades muito específicas, mas cada vez menos úteis.

Serge Ibaka, de 28 anos, sofre algo parecido. Parece que seu auge já passou há uns seis anos. Não é mais tão intimidador na defesa e nem tão ameaçador do perímetro.

Reservas importantes, como PJ Tucker, Cory Joseph, Patrick Patterson, não estão mais por lá. O time ainda tem um núcleo muito jovem e com algum potencial, mas poucos deles se mostram realmente preparados para contribuir de imediato. Desta forma, a sensação é que o Toronto Raptors é um time que andou muito pouco enquanto seus principais concorrentes correram atrás de reforços – como Cavs e Celtics – ou então evoluíram naturalmente – como Wizards e Bucks.

O time ainda é bom, coeso e bem treinado. Mas a distância das cabeças da conferência aumentou e a chance de surpreender parece cada vez menor.

Offseason
O time perdeu peças importantes, principalmente do banco de reservas. Patrick Patterson, PJ Tucker e Cory Joseph mudaram de ares e o time basicamente só se recompôs com calouros ou jogadores da D-League. A única contratação razoavelmente relevante foi a chegada de CJ Miles. O time também renovou com Kyle Lowry em uma negociação boa para a franquia.

Time Provável
PG – Kyle Lowry / Delon Wright / Fred VanVleet
SG – Demar Derozan / Norman Powell
SF – CJ Miles / OG Anunoby / Bruno Caboclo
PF – Serge Ibaka / Pascal Siakam / Kyle Wiltjer
C – Jonas Valanciunas / Jakob Poeltl / Lucas Bebe

Expectativa
É presença garantida nos playoffs do Leste, possivelmente com uma boa posição. Briga com o Washington Wizards e o Milwaukee Bucks para ver que fica com a terceira posição. Estatisticamente, imagino o melhor ano da carreira de Derozan.

Ainda não segue o Dois Dribles no Twitter? QUE ABSURDO! Segue lá:

CompartilheShare on Facebook265Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on Reddit0Share on LinkedIn0Email this to someone