Adam Silver cumpriu sua palavra e o All Star Game do ano que vem não vai mais ser em Charlotte. Por causa de uma lei estadual que, entre outras coisas, proíbe que transgêneros usem os banheiros dos seus gêneros, a NBA já tinha ameaçado que poderia mudar o evento de cidade caso a decisão não fosse revogada. Depois de muito tempo sem nada acontecer na Carolina do Norte, a liga resolveu mudar mesmo o jogo de lugar.


O gesto é o mais enfático já tomado pela NBA com o objetivo de ser uma liga mais inclusiva – uma bandeira da gestão de Adam Silver que até o momento estava muito bonita no discurso, mas que não tinha efeitos práticos muito palpáveis.

No comunicado, Silver diz que a cidade pode receber o ASG ainda em 2019, caso a lei estadual seja revogada e a comunidade LGBT possa ter seus direitos garantidos, como em boa parte dos estados americanos.

Particularmente eu achei uma decisão muito correta. Independente de concordar com a liga, acho que se a NBA quer mesmo fazer disso uma bandeira, não havia outro caminho a tomar. Em todos os posicionamentos sobre o assunto, a liga sempre mostrou que seu objetivo principal era promover a diversão a todos. Para que TODOS se sintam em condições de igualdade para curtir um All Star Game, o evento tinha que ser realizado em outro lugar que não tivesse uma lei anti-LGBT.