Category: NBA2K

As novidades do NBA2k17

A uma semana do lançamento do NBA2k17, próxima edição da principal franquia de jogos de basquete, a produtora do jogo divulgou em seu blog alguns detalhes das novidades que o game trará em dois de seus modos mais populares: MyGM e MyLeague, ambos com uma simulação do gerenciamento de uma franquia ao longo das temporadas. À primeira vista, as novidades trarão mais realismo, controle e, consequentemente, mais diversão ao jogo.

Rotação

Algumas das principais demandas dos usuários foram ouvidas. Por exemplo, o esquema da rotação do time agora será mais detalhado. Ao invés de só dizer quantos minutos você quer que cada atleta fique em quadra em média, será possível determinar o quanto cada um vai atuar em cada posição – o que é ótimo, já que na edição passada um reserva versátil era prejudicado ou comia minutos demais do titular da posição por não ter essa variação programada.

nba-2k17-adavaced-rotations

Vai ser possível também determinar exatamente em que período do jogo cada cara vai estar em quadra. A montagem da rotação vai acontecer em uma tela de ‘storyline’ com todos os minutos da partida e vai ser possível editar a ‘barrinha de tempo’ de cada jogador do time na posição que você quiser que ele jogue.

Atividade na offseason: mudança de regras na liga e trocas

Assim como na NBA, com o passar das temporadas dentro do jogo, algumas mudanças nas regras da liga aparecerão para o usuário, como se ele fosse mesmo um GM decidindo se mais times devem entrar na liga, se mais jogadores serão chamados ao All Star Game, se o tempo de posse de bola será alterado e etc.

Durante a offseason os times também terão maior autonomia para negociações de jogadores e escolhas de draft, sem necessariamente delimitar as ações dos times para alguns momentos apenas.

Atmosfera mais realista

O mais importante de tudo, aparentemente a atmosfera do jogo está ainda mais realista. São alterações que não mudam em nada a jogabilidade, mas ‘temperam’ a experiência do usuário e tornam o passatempo ainda mais bacana. Uma coisa bastante anunciada foi a gravação in loco do áudio das 30 arenas da NBA, o que promete dar uma cara exclusiva a cada time quando jogar em casa.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=1lfBzRfO9pg&w=560&h=315]

Este clima também será afetado pelo esquema de rivalidades que vai ser colocado nessa edição. Quando o Clippers for enfrentar o Pacers, o ambiente será um (mais tranquilo, corriqueiro) e quando receber o Lakers, será outro (mais efervescente e animado).

Outras ‘perfumarias’ entram no pacote: aquela barrinha de comentários nas redes sociais vai ter uma proporção maior de boatarias e com o passar dos anos os times poderão aposentar os números das camisas dos seus craques.

Um cara dormiu jogando MyCareer e bateu o recorde de turnovers em um jogo

Uma boa medida de como o modo MyCareer do NBA2k16 não ficou tão interessante como era de se esperar é a seguinte história: um maluco ligou seu videogame, começou uma partida com seu jogador e DORMIU durante a disputa. O resultado disso é que ele conseguiu bater o recorde histórico individual de bolas perdidas para um jogador no enredo do game.

mycareer

No total, foram 83 (OITENTA E TRÊS) turnovers cometidos pelo cara. Conseguiu a proeza de dormir mais do que o Alex, ex Coritiba, Palmeiras e Cruzeiro, nos momentos de apagão.

A ANEDOTA também serve de exemplo sobre como as telas de ‘loading’ do jogo são intermináveis – eu mesmo já dormi e acordei várias vezes enquanto esperava (mentira).

Antes de xingar, entenda como são definidos os ‘ratings’ do NBA2K

Neste período completamente morto para o calendário da NBA, o assunto que mais domina as discussões sobre a liga são as especulações e opiniões sobre o NBA2K, principal jogo de videogame de basquete da atualidade. Sempre que sai uma nova versão – o que vai acontecer no dia 20 de setembro – a turma fica alvoroçada com as forças que cada time e jogador tem no game. É quase como uma previsão da temporada na ótica dos desenvolvedores do jogo.

E como todo preview desse tipo, os fãs costumam cair de pau em algumas coisas que pintam – o principal alvo é o ‘rating’ dos jogadores, que é uma classificação, tipo uma nota, que determina quão bom o atleta é no jogo. Ano passado muita gente quase infartou quando Kobe saiu com ‘míseros’ 85 de rating. Neste ano, o povo está indignado com Towns (88) e Irving (89).

Só que, antes de sair vomitando ~cocozinho pela timeline, é importante entender como os desenvolvedores do jogo criam essa classificação. Ano passado o produtor do jogo, Mike Stauffer, explicou para o Grantland as diretrizes atuais para tentar passar o máximo de realismo pros jogadores.

É bom deixar claro que é um processo com uma boa parcela de subjetividade. Ninguém sabe ao certo como cada jogador vai ~perfomar. Mais difícil ainda é atribuir uma nota a ele. Ainda assim, existe um critério.

Basicamente, a força total de cada jogador é moldada por uma soma de fundamentos (arremesso de média distância + arremesso de longa distância + habilidade na bandeja + etc) e cada um destes tem um peso ponderado dependendo do papel do jogador em quadra. Bom, isso não é segredo pra ninguém. O lance é como eles determinam esta nota em cada um dos atributos.

Atualmente, o critério é o seguinte: só recebe 99 em uma habilidade o jogador que é o MELHOR DA HISTÓRIA naquele fundamento. É uma ‘escala Hall da Fama’, em que só o melhor cara naquele quesito recebe a nota máxima. Mesmo que você seja excelente, um dos melhores, mas não for O MELHOR em determinado atributo, seu rating naquela habilidade será inferior a 99.

CqrBA0-XgAA2rXC

79 é bom ou ruim?

Este critério aplicado a centenas de jogadores medianos em vários fundamentos cria um exército de jogadores medianos e relativiza jogadores muito bons da atualidade – o que gera a ira da rapaziada quando vê um craque como Kobe com meros 85.

‘Shot IQ’ no máximo, só Larry Bird da temporada de 1986. 99 em ‘Steal’, só Gary Payton de 1996, quando foi o melhor jogador de defesa. E assim por diante (veja aqui os jogadores com algum atributo no máximo na versão do ano passado do jogo)…

Nas edições passadas, vários jogadores tinham a nota máxima em vários atributos para evidenciar quem era bom em determinado fundamento. Acontece que, além de virar uma apelação, alguns jogadores medíocres viravam verdadeiras máquinas a partir do momento que você dominava a mecânica do jogo. E, que graça tem se Stephen Curry e Kawhi Leonard, por exemplo, que são exímios chutadores de fora, ficarem com a pontuação máxima no fundamento se o primeiro é ainda melhor do que o segundo. É bem abstrato, mas um número só faz sentido se comparado com outro.

Dito isso, TÁ LIBERADO XINGAR!

NBA2k17 divulga top4 de cada posição

O NBA2k17, versão da próxima temporada do jogo de videogame de basquete mais popular do mundo, divulgou os quatro melhores jogadores de cada posição. Mesmo que sem uma ordem definida e sem o rating de cada atleta, já dá para saber quem serão os jogadores mais dominantes de cada posição.

Dá uma olhada:

pgsgsfpfC

Não chega a ser algo muito revelador ou fora do previsto. Salvo uma ou outra opinião, os jogadores estão bem próximos de um consenso – levando em conta o que jogaram ano passado e o que se espera deles na temporada que vai começar.

Também fica claro que o Golden State Warriors vai ser uma máquina no jogo – já que só o pivô do time não está entre os quatro melhores da posição.

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén