Category: Tênis

Harden, Curry e Wiggins: quem fez o tênis mais horroroso?

Um dos maiores feitos para um jogador de basquete é ter um tênis próprio, com seu nome. Não basta ser uma estrela da NBA para ser seus ‘signature shoes’: é preciso ser excelente jogador, uma personalidade popular e ser uma marca vendável.  Dos mais de 400 jogadores da NBA sob contrato de patrocínio com alguma marca, apenas 12 têm um tênis assinado ou batizado com o próprio nome.

Então o jogador se destaca, descola um contrato milionário, a empresa aposta nele e… o cara vomita todo o mau gosto dele num par de tênis. Foi isso que aconteceu nesta semana com o primeiro pisante assinado por James Harden.

harden

Combina com um macacão de fábrica

Não vi o DESCRITIVO da peça, mas pelo visual de ‘Equipamento de Proteção Individual’, não duvido que ele tenha aquela famosa biqueira de aço, providencial para o trânsito numa fábrica, mas dispensável para a prática do basquete profissional – ainda que recomendada em alguns casos. Os fãs de TRILHA e outras atividades parecidas também devem gostar do modelo – o qual não imagino que seja o público-alvo do lançamento.

O visual polêmico e pouco esportivo parece ser uma tendência, aliás. Na semana das finais da NBA, Stephen Curry lançou a linha ‘Curry 2’  e a turma caiu de pau no modelo ‘Chef’.

35231E2400000578-3635936-image-a-51_1465588460163

Z03IR@ com o tênis do Curry: rolou

Aparentemente o pessoal errou na mão ao tentar fazer um tênis ‘old school’, exagerando um pouco nas características ‘old’ da expressão. Ideal para usar com calça de moletom, o Chef foi preterido pela comunidade basqueteira e agradou só os atletas veteranos das modalidades Corte de Grama +65 anos – eu confesso que não achei tão ruim assim, mas talvez seja a minha alma de velho…

Outro que conseguiu defecar em forma de tênis foi Andrew Wiggins no seu primeiro ‘signature shoe’. Parece que na tentativa de fazer algo inovador e de alta performance, a rapaziada da Adidas desenhou o tênis definitivo para esportes radicais – um treco um pouco distante das características tradicionais dos sneakers de basquete.

wiggins

Do avesso deve ser lindo

Eu, que nunca fui muito fã destes tênis modernos de basquete – sempre achei mais legal os Air Jordans antigos -, já comecei a ser mais simpático com os KD, Lillards e Lebrons de sempre…

Dicas para garimpar camisas da NBA no AliExpress

Mais cedo postei uma foto de uma camisa que acabou de chegar do AliExpress e muita gente veio tirar dúvidas sobre como funciona comprar pelo site, qual a melhor loja, qual o tamanho das camisas e etc. Como acho que muita gente tem interesse, mas ainda tem medo de comprar lá, vou compartilhar um pouco da minha experiência em compras no site e, quem sabe, ajudar a rapaziada a perder o cabacinho com a chinesada.

Vou colocar em tópicos porque este tipo de ‘guia’ funciona melhor assim, especialmente quando quem quer tirar a dúvida está mais interessado em uma ‘leitura dinâmica’.

Qualidade e preço

Bom, começar do básico. AliExpress é um site chinês que reúne vários vendedores e lojas de lá. Tem de tudo. Tem gente que compra vestido de casamento, CARRO e tudo mais. Também tem várias lojas que vendem camisas de times.

Por que comprar no AliExpress se tem loja da Adidas (online, com entrega rápida), se tem Centauro, Netshoes e o diabo que vende aqui no Brasil? Porque uma camisa no site chinês sai por 20 dólares e aqui sai por 200 reais.

Na teoria, é neste preço porque a camisa sai direto da fábrica. Claro que possivelmente isso não é verdade e na real eles fazem réplicas das originais. Com uma pesquisa rápida e um pouco de atenção, você consegue camisas que são idênticas às originais (elas vêm com etiqueta da Adidas e tudo mais, o que alimenta a lenda que são produtos originais direto da fábrica, vai saber…).

Eu já comprei mais de 30 camisas no AliExpress e só tive uma experiência ruim. Era para ser do Bogut, no Golden State Warriors, mas veio uma regata muito zoada com número e nome silkado todo cagado. De resto, todas perfeitas – já comprei na NBA Store, em loja oficial de time nos EUA, loja da adidas aqui e etc, então tenho uma boa base de comparação. Para isso, é preciso se ligar na hora de escolher a loja.

Escolhendo a loja e as camisas

Este é o ponto chave. Para minimizar as chances de vir uma camisa toda cagada, você tem que escolher bem o vendedor. O ideal seria encontrar um fornecedor bom e comprar sempre dele. O problema é que as fabricantes denunciam estes vendedores para o AliExpress que fecha estas contas. Os caras voltam depois de um tempo com outro nome, mas aquele link da loja original se perde.

A dica básica é ir atrás dos vendedores bem avaliados. Ao lado do nome das lojas, eles tem ‘selos’ que indicam se suas vendas são reclamadas com frequência e etc. Se o cara tem um selo que é uma medalha de ouro ou um diamante, pode confiar que é muito difícil dar merda.

Devem existir formas diferentes de busca, mas como é um site chinês traduzido para o português, a busca é meio zoada. Eu indico que você deva buscar o nome do jogador que você que a camisa e colocar ‘jersey’ junto, senão vai aparecer um monte de bugiganga que você não está interessado. Achando a camisa, vale ver a avaliação da loja no canto da página. Se for bem avaliada, dá pra clicar no nome do vendedor e garimpar se ele não tem outros modelos legais e fechar uma compra de umas duas ou três camisas – que vêm pelo mesmo frete e você economiza ainda mais.

Sem ali1

No print acima fiz um exemplo de busca. Você também deve notar as opções de frete. Algumas lojas só mandam por DHL, o que torna a compra inviável (a menos que você tope pagar 400 reais pela entrega, RISOS). O ideal é pegar vendedores que mandem pelo correio chinês (10 a 15 reais de frete) ou de graça.

Ao clicar na camisa, dá para abrir a página do vendedor e navegar pelos outros modelos que ele vende. Geralmente eles colocam por jogador e, dentro do produto por atleta, os vários modelos disponíveis.

Sem ali2

O bom do AliExpress é a gama enorme de camisas que eles têm à disposição. Eu já comprei de tudo quanto é tipo. Eu recomendo as camisas mais atuais. Já comprei umas retrôs que, pelo design da camisa, não ficaram tão boas. As mais novas, de 2000 pra cá, são muito melhores. O material não é mais aquela redinha e nomes e números são costurados em material leve e não mais aquele silk grosseiro ou uma costura pesada.

IMG_2493

Todas do Ali: na foto não parece, mas a camisa do Barkey é meio zoada. As outras são perfeitas!

Importante: tamanhos das camisas

Uma coisa muito importante para se ligar na hora de comprar as camisas é na escolha do tamanho. É uma coisa básica: o chinês médio é bem menor do que o brasileiro médio. O tamanho G deles não é o mesmo G que o nosso. Eu me ferrei algumas vezes por estar acima do peso (RISOSSSSS) e querer comprar do mesmo tamanho que eu comprava aqui no Brasil. Resultado: ficaram muito justas e eu nunca pude usar (uma delas é a do Anthony Bennett que eu comprei e nunca serviu, hahaha).

Eu aqui uso XG (tenho 1,94 e 115 quilos). No Ali, só posso comprar XXG (e mesmo assim elas não ficam muuuito largas. Ficam no tamanho certo para usar para jogar, mas ficariam apertadas para usar por cima de uma camiseta, por exemplo).

IMG_2494

Camisa do Lebron no colégio e do Carmelo na universidade

Na dúvida, acho que é recomendável comprar sempre um tamanho maior do que o tradicional, mas talvez seja um TRAUMA DE GORDO que eu tenho.

Ah, outra coisa: como as descrições das camisas são meio estranhas (traduzidas do chinês), tem que ficar muito ligado no que você está comprando. Digo isso porque uma vez um amigo meu foi pegar uma camisa do Magic Johnson e não se ligou que estava comprando uma versão INFANTIL. Era pra ser G, mas chegou e a jersey não servia nem na perna dele, hahaha.

Entrega e taxa

Um problema que o Ali tinha antigamente era que demorava uma eternidade para entregar. Já teve pedido meu que demorou mais de 90 dias pra chegar. Atualmente, elas estão demorando no máximo 40 dias – um prazo bem razoável para cruzar o globo inteiro e chegar na sua casa.

O site tem um sistema que garante que a entrega será feita. Eles têm um prazo correndo ali que é um tempo máximo que o produto tem que chegar no destino. Se esse tempo está se esgotando, você manda uma mensagem para o vendedor perguntando porque ainda não chegou e ele te diz se teve algum problema ou não. Qualquer coisa, você contesta a negociação e o Ali devolve a grana. De qualquer forma, eles sempre fornecem rastreamento e boa parte dos atrasos acontecem porque a mercadoria fica parada nos correiros do Brasil.

Tem que sempre ter em mente que 90% destas compras serão taxadas ao chegarem no Brasil. São 12 reais mais uma estimativa do imposto. Nas minhas ultimas entregas, comprei sempre duas camisas juntas e deu 30 reais de taxa. Mesmo com entrega e imposto, ainda vale bastante a pena – somando tudo, dá uns 80 reais por camisas que você nunca encontraria por aqui.

Conclusão: vale a pena

No final das contas, vale a pena. Em algum momento, pode vir uma camisa zoada ou em um tamanho menor do que o imaginado, mas com atenção e prática, você minimiza muito estes problemas. Como infelizmente as camisas chegam muito caras por aqui e em uma oferta de times e jogadores bem reduzida, o AliExpress é uma opção mais barata e variada para os fãs – onde, aqui no Brasil, eu ia conseguir comprar camisa do Bennett no Cavs, do Julius Randle ou do Dante Exum?

IMG_2497

Eu te amo, Ali

Malandramente, Nike esconde tênis de outras marcas na foto oficial da seleção americana

Você nem suspeita, mas aquela foto oficial clássica dos doze jogadores da seleção americana que vão para os Jogos Olímpicos esconde algumas coisas que a fornecedora de material esportivo do USA National Men’s Team não quer mostrar.


Exceto pelo excesso de tratamento no photoshop que faz todo mundo parecer muito mais bonito do que realmente é, ninguém diria que há algum tipo de, digamos, manipulação nesta foto, não? Pois há.

Note que os tênis de Harrison Barnes, Kyle Lowry e Klay Thompson estão escondidos atrás dos colegas, enquanto todos os outros ostentam seus pisantes numa boa. Os três jogadores são os únicos que usam tênis de outras marcas – os dois primeiros da Adidas e o último da chinesa Anta.

Sinceramente eu nunca tinha notado isso e diria que é fruto da imaginação daquele povo que ama uma teoria da conspiração. Mas o jornalista Nick de Paula, insider sobre contratos de fabricantes de tênis de basquete (sim, isso existe), lembrou que toda vez o fotógrafo da seleção americana dá um jeito de esconder os ‘sneakers’ das concorrentes da Nike.

Em 2008, na primeira olimpíada que o time dos EUA teve a Nike como fornecedora de uniformes, já rolou isso.
Todos os Nike bem visíveis. Os Air Jordan e Converse, pertencentes à empresa, também estão ali. Só Dwight Howard está com o pé encoberto – justamente o único atleta que usava um calçado da Adidas.


Em 2012, o controle da Nike sobre a seleção americana chegou ao ponto de que mesmo os jogadores que tinham contratos com outras marcas teriam que usar o ‘tênis da vírgula’ durante os jogos.

Convenientemente ou não, entre os 12 convocados, só Kevin Love era patrocinado por outra empresa – mas como era uma fabricante chinesa, e não uma das gigantes concorrentes, ele conseguiu liberação para usar Nike nas partidas das Olimpíadas. Mesmo assim, mais uma vez, ele foi o único jogador com os pés completamente encobertos na foto oficial do time.

Lembrando que a foto é da SELEÇÃO e não da Nike exatamente, o que abre uma boa discussão sobre o direito da fabricante em exigir este tipo de coisa – e até levanta suspeitas sobre o eventual poder da marca nas convocações e escalações, parecido com o que muita gente garante que acontece no futebol brasileiro. Vai saber…

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén