Page 2 of 63

No #Fera: Com início discreto, Lonzo Ball descobriu que a NBA não é o quintal de casa

Com início discreto, Lonzo Ball descobriu que a NBA não é o quintal de casa

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

No #Fera: O que está acontecendo com as novas camisas da NBA e por que elas rasgam tão fácil?

O que está acontecendo com as novas camisas da NBA e por que elas rasgam tão fácil?

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

No #Fera: Eric Bledsoe conseguiu o que queria: saiu de Phoenix e foi para Milwaukee

Eric Bledsoe conseguiu o que queria: saiu de Phoenix e foi para Milwaukee

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

No #Fera: James Harden bate recorde pessoal de pontos em partida quase perfeita

James Harden bate recorde pessoal de pontos em partida quase perfeita

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

No #Fera: O paraíso de Simmons e o inferno de Fultz: calouros do Sixers vivem extremos

O paraíso de Simmons e o inferno de Fultz: calouros do Sixers vivem extremos

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

No #Fera: Sem critério, NBA multa atletas que brigaram feio e suspende quem não fez nada

Sem critério: NBA multa atletas que brigaram feio e suspende quem não fez nada

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

No #Fera: Warriors e Cavs têm pior começo de temporada desde que viraram potências

Warriors e Cavs têm pior começo de temporada desde que viraram potências

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

No #Fera: Giannis Antetokounmpo: é bom você ir se acostumando com esse gigante

Giannis Antetokoumpo: é bom você ir se acostumando com esse gigante

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

O Dois Dribles agora tem novo endereço!

Pessoal, comecei esse blog há dois anos despretensiosamente, como uma forma de me distrair de um trabalho exaustivo que preciso dar conta todos os dias. Ninguém aqui deve saber, mas moro em uma cidade e trabalho em outra, a mais de 90 quilômetros e uma serra de distância. Vou e volto todo dia. Saio cedo pra caralho, volto tarde. Nada de especial, porque sei que uma porrada de gente vive na mesma, mas depois de um ano nessa, pensei que tinha que ocupar a minha cabeça com alguma coisa que me desse prazer para aguentar a rotina sem enlouquecer e aí nasceu o Dois Dribles.

Para a minha surpresa o blog cresceu, alcançou bastante gente e chamou a atenção de algumas pessoas, que me fizeram uma proposta para hospedá-lo no Fera, um site de esportes do Grupo Estado. A ideia deles é falar de todos os esportes, com uma pegada mais leve e bem humorada. Gostei do desafio e topei. Agora vocês podem acompanhar o Dois Dribles por este link: http://esportefera.com.br/blogs/dois-dribles/

Por mais que eu seja apegado a esse site aqui, criado por mim, eu acho que lá terei a oportunidade de chegar a mais pessoas, de participar de um projeto bacana e de dar minha contribuição para algo que tem muito potencial de crescimento.

O blog antigo continuará aqui no ar com os textos antigos, o Guia de Transmissões e o Guia de Pronúncia dos Nomes dos Jogadores. Todo novo texto que sair lá, eu postarei o link por aqui, para que vocês possam continuar acompanhando. E, quem sabe, um dia volto para esse endereço aqui, vamos vendo…

Ah, o Facebook e o Twitter do Dois Dribles continuarão ativos, divulgando tudo de novo que sair no blog.

Peço, por favor, que vocês me passem um feedback sincero do que acham da mudança, do site, do blog e tudo mais. NÃO ME ABANDONEM! E vamos lá!

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

Um problema na armação do Cavs

Não deveria ser nenhuma surpresa: quando o Cleveland Cavaliers contratou Isaiah Thomas e Derrick Rose, era de se esperar que a armação do time pudesse, eventualmente, ficar seriamente desfalcada. Thomas já estava lesionado quando chegou ao time – a ponto do Cavs fazer doce para concluir a troca, pedindo compensações maiores ao Boston Celtics – e Rose é um jogador de histórico complicadíssimo. Acho que a franquia apostou em ambos por saber que, no final das contas, Lebron James é o principal organizador do time em quadra.

O que eu nem o Cleveland imaginava é que James teria que assumir oficialmente o papel de point guard da equipe tão cedo. Isaiah ainda está há um bom tempo do seu retorno e Derrick Rose virou o pé logo na sua segunda partida com o time.

Ter Lebron nesta posição não chega a ser um problema em si. Na verdade, pensando estritamente nos matchups com os rivais, é até uma vantagem: por ser imenso e ainda assim ágil, sua presença representa um obstáculo quase que sobrenatural para os armadores adversários.

(Divulgação/Cleveland Cavaliers)

Como geralmente os alas adversários continuam marcando Lebron, o point guard rival acaba caindo para marcar Jae Crowder, Dwyane Wade, JR Smith ou Iman Shumpert, em um mismatch que eventualmente pode favorecer os jogadores do Cleveland.

Isso em um, dois jogos é bacana. Em vários, é um problema. Aliás, um problema conhecido do Cavs. Nos anos passados, Lebron James reclamava da falta de reposição de Kyrie Irving na armação, que acabava o sobrecarregando.

Sem organizadores reservas, Lebron tinha que passar muito tempo em quadra na maratona de 82 jogos, de desgastando para uma eventual batalha nos playoffs. Não acho que uma coisa tenha uma relação direta com a outra, mas ano passado James foi o líder em minutos em quadra da NBA e o Cleveland Cavaliers foi atropelado nas finais.

O time até buscou um armador para desafogar a criação do time. Deron Williams chegou mas não ajudou muito. Para este ano, a ideia era dar profundidade à formação. Além de Thomas e Rose, o time buscou Jose Calderson e Dwyane Wade, que pode fazer às vezes de point guard puxando o ataque – ainda que não dê mais conta disso na defesa hoje em dia.

O problema aqui fica nos detalhes. O Cavs não quer desgastar Lebron, mas ao mesmo tempo vê como mais eficiente jogar Wade para rotação reserva, Calderson parece que não dá conta de jogar mais do que 15 minutos por partida, Rose não é do tipo de cara que vá voltar antes de estar 100% e Thomas tem uma lesão séria a ponto de não ser inteligente apressar as coisas. Assim, Lebron é que tem que se virar como armador do time mesmo, por mais que a maior preocupação dele e do front office fosse povoar a posição.

Não seria de se espantar que, caso Rose continue com algum problema físico e Thomas tenha sua recuperação atrasada por algum motivo, pelo terceiro ano consecutivo o Cavs tenha que ir ao mercado buscar mais um jogador para completar a rotação na criação de jogadas.

Até lá, Lebron terá que se ver em um papel que ele não contava que fosse desempenhar tão cedo e por tanto tempo. Que essa conta não seja cobrada no final do campeonato.

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

Page 2 of 63

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén