Tag: Previsão (Page 2 of 2)

[Previsão 16/17] Lakers: há vida pós-Kobe?

Vai ser estranho, mas pela primeira vez em 20 anos o Los Angeles Lakers vai entrar começar uma temporada sem Kobe Bryant. Mesmo que o time já tivesse se acostumado a não brigar por nada, ainda assim contava com um dos jogadores mais emblemáticos da história da liga. O desafio é fazer a franquia mais tradicional, com maior número de dinastias e eras vitoriosas da NBA – e segundo maior número de títulos – a retomar o seu posto.

O time agora se encontra em uma situação muito incomum: tenta partir do zero para se transformar em alguma coisa. Historicamente, a franquia se escorou em grandes estrelas para moldar times campeões e pela primeira vez em décadas – exceto por um hiato nos anos 90 – os torcedores do Lakers terão que torcer por um time jovem em processo de reformulação, sem um daqueles craques incontestáveis.

Ainda que este trabalho esteja sendo feito com uma competência bastante questionável, o time tem um núcleo jovem e talentoso. Só é difícil medir o real potencial destes caras jogando juntos em alguns anos – se vai ser um time para brigar por playoffs em alguns anos ou se pode se tornar de fato uma nova dinastia.

randle

A molecada parece ter talento, mas ainda é cedo para meter medo no Oeste

Offseason
O draft angelino foi perfeito: Brandon Ingram era a segunda escolha obrigatória. Seu biotipo esguio e seu bom aproveitamento nos arremessos de três fazem dele uma excelente aposta para o futuro, especialmente pelo tipo de basquete que é jogado hoje e pelo que esperamos que Luke Walton, novo técnico do time, vá aplicar em Los Angeles.

A aquisição de Timofey Mozgov, Luol Deng e Yi Jianlian, por outro lado, eu achei bem questionáveis. Não só pelos valores, mas pela duração de cada contrato. Ainda que a classe de free agents deste ano não fosse das melhores – e os principais jamais topariam se juntar ao Lakers -, o time poderia beliscar algo mais útil a curto prazo e se comprometer menos para o futuro mais distante.

Time Provável
PG – D’Angelo Russell / Jose Calderon / Marcelinho Huertas
SG – Jordan Clarkson / Lou Williams / Nick Young
SF – Luol Deng / Brandon Ingram / Larry Nance Jr
PF – Julius Randle / Yi Jianlian
C – Timofey Mozgov / Ivica Zubac / Tarik Black

Expectativa
Independente de qualquer coisa, o time já terá uma evolução brutal só por trocar Byron Scott por qualquer outro ser humano para comandar a comissão técnica. Não faço ideia como será Luke Walton (ser técnico do Golden State Warriors era moleza, convenhamos…), mas já será infinitamente melhor do que Scott.

Diante das incertezas e da inexperiência dos jogadores mais promissores, é bem possível que o Lakers continue sendo um dos piores time do Oeste.

[Previsão 16/17] Sixers: chega de tank

Inauguro aqui com o Philadelphia 76ers a série de posts sobre como chegam os times para a temporada de 2016/2017. Não tenho a pretensão de cravar a campanha de cada franquia ou coisa do gênero, mas ~pincelar sobre como foi a offseason, como se saiu nas trocas e renovações e como o time chega para a próxima edição do campeonato.

A ordem que adotei para fazer vai ser da pior para a melhor campanha na temporada regular do ano passado. Deste modo, boa parte dos favoritos ficam para o final – ainda que a dinâmica mude um pouco de um ano para o outro.

Começando então pelo Philadelphia: é um time que eu acho que vai ser bacana de assistir e que finalmente vai entrar para não perder – nos últimos três anos ‘o processo’ do Sixers se baseou, no ‘tank’, que é perder de propósito para ficar com a pior colocação possível na tentativa de angariar o maior número de talentos via draft.

Se de certa forma o lance todo valeu a pena para escolher Ben Simmons, um jogador que pode ser capaz de transformar uma franquia, por outro lado o método pode ser bastante questionado, já que o time conta com uma overdose de pivôs e o segundo jogador mais talentoso do grupo, de acordo com as expectativas, não jogou uma partida sequer em dois anos de liga.

gettyimages-542852696-e1467411969990

Todos em Philadelphia apostam em Simmons para ser o franchise player

Offseason
O principal objetivo do time foi alcançado, que era pescar Simmons no draft. Nas metas secundárias, o time não teve tanto êxito assim: na busca por um armador de calibre, a franquia conseguiu no máximo duas apostas interessantes (Jerryd Bayless e Sergio Rodriguez); e na tentativa de cercar os jovens talentos de jogadores experientes, o front office do Phila falhou completamente.

Também não conseguiu despachar o garoto-problema Jahlil Okafor, que tem talento, mas vai ter uma competição muito feroz na posição e a indisciplina preocupa a comissão técnica do time.

Time provável
PG – Bayless / Rodriguez
SG – Henderson / Thompson
SF – Covington / Saric
PF – Simmons / Okafor
C – Noel / Embiid

Expectativa
Certamente não será o pior time da liga como no ano passado, mas ainda não é o momento para desfrutar dos resultados do processo de reconstrução do time. Vai ser divertido assistir, mas não vai incomodar.

O que eu errei e acertei nas previsões do início da temporada

A temporada acabou. Por mais que muita gente bote defeito em um monte de coisa, tivemos um ano histórico para a NBA. Recordes individuais e coletivos sendo batidos, um título impressionante, disputas equilibradas nos playoffs marcaram uma temporada de altíssimo nível.

Em um próximo post vou fazer uma autoavaliação deste blog ao longo desta temporada e dar as coordenadas de como vai ser a atividade por aqui durante as semanas de marasmo da offseason. Mas antes de mais nada, vou começar me expondo um pouco e relembrar um post que fiz no começo do ano, com palpites e previsões para a temporada. Errei um monte de coisa, claro, mas até que algumas coisas que eu disse na época aconteceram. Vou avaliar cada previsão como (DESASTROSO, ERRADO, OK e NA MOSCA). Dá uma olhada:

O New York Knicks vai continuar sendo um time ruim, com menos de 30 vitórias na temporada. (ERRADO – O time começou bem até, o calouro deu certo e a campanha não estava tão ruim. A coisa desandou na segunda metade do campeonato, quando o gênio Kurt Rambis foi promovido a técnico interino do time. Terminou com 32 vitórias)

– O Lakers também. (NA MOSCA – Foram 17 vitórias apenas e uma temporada perdida, mas era bem óbvio né?)

– Kobe vai meter pelo menos um jogo com mais de 55 pontos.( NA MOSCA – Quase que eu erro essa. Muita sorte que ele chutou até a mãe na sua despedida e meteu 60 pontos na última partida da carreira)

– Mesmo não sendo lá essas coisas em quadra, Kobe e Derrick Rose estarão no top 5 de camisas mais vendidas. (ERRADO – Kobe ainda ficou em segundo, mas Rose caiu para a sétima posição. Curry foi o primeiro, Lebron o terceiro, Porzingis surpreendeu com o quarto posto e Durant e Westbrook ficaram em quinto e sexto, respectivamente)

– Brad Stevens vai tirar leite de pedra do Boston, mas não vai ganhar o prêmio de melhor técnico. (OK – Brad Stevens foi muito bem e não ganhou o prêmio de melhor técnico, mas acho que é forçar a barra dizer que tirou leite de pedra. O elenco não é brilhante, mas é digno de playoffs no Leste, e foi isso que aconteceu)

– Anthony Davis vai ser um monstro em quadra, com o melhor desempenho estatístico, mas Durant, Lebron, Harden e Curry vão acabar na frente dele na corrida pelo título de MVP. (ERRADO – Davis realmente ficou atrás de todos eles na corrida para MVP, mas não teve uma temporada tão sensacional como eu achava que teria. Não melhorou nada em relação ao ano passado e ainda ficou 20 jogos fora por lesão)

– Utah Jazz e Phoenix Suns vão fechar o ano com pelo menos 40 vitórias, com campanha melhor que alguns times classificados do Leste, mas vão ficar fora dos playoffs do Oeste. (ERRADO – Maldita hora que eu resolvi colocar o Phoenix Suns no mesmo balaio do Utah Jazz! O time de Salt Lake City realmente ganhou 40 jogos e perdeu a vaga nos playoffs nas últimas duas rodadas. Já o Phoenix foi a pior equipe da segunda metade do campeonato. Para completar, depois de muitos anos todos os classificados do Leste tiveram mais de 50% de aproveitamento na temporada regular)

– Clippers contratou um monte de gente, mas o sexto homem do time ainda vai ser o Jamal Crawford. (NA MOSCA– Em um determinado momento da temporada eu nem acreditava mais que isso ia acontecer, mas por sorte os jornalistas que votam pelos ‘awards’ têm preguiça de pensar e elegeram mais uma vez Crawford com o melhor reserva da liga)

– DeMarcus Cousins e George Karl vão se matar fora de quadra, mas os dois ficam até o final da temporada no time. (NA MOSCA – Os dois se xingaram no vestiário, a imprensa deu como certa a saída de Karl na pausa para o All Star Game, Cousins esteve em todos os boatos de troca, mas os dois estiveram juntos do primeiro ao último jogo da temporada. Sacramento só foi atrás de um novo técnico ao final do campeonato.

– Orlando Magic vai ser o time da moda, mas não vai a lugar algum. (NA MOSCA – O termo ‘moda’ pode ser um pouco questionado aqui, mas de fato se esperou muito mais do Magic e ele entregou muito pouco)

– Stephen Curry vai fazer mais de 300 cestas de três na temporada, mais uma vez. (NA MOSCAForam mais de 400, na real)

– Toronto Raptors vai ser campeão de divisão, mesmo sendo um time meia boca. (NA MOSCA – E foi o segundo do Leste)

– Russell Westbrook vai ser o líder em triples-doubles na temporada. Mesmo assim, Durant vai voltar a ser o dono do Thunder. (OK – Westbrook foi disparado o líder em triples-doubles, mas não dá para dizer que Durant é o dono incontestável do time)

– Drake vai se apresentar no All Star Game. (OK – Olha, quem cantou mesmo foi o Sting, num show chato pra caralho, mas Drake foi o grande anfitrião da festa, tanto é que estava no palco na hora da entrada dos jogadores na partida)

– Zach Lavine vai ganhar de volta o campeonato de enterradas. (NA MOSCA– Ele ganhou o campeonato em uma das disputas mais sensacionais de todos os tempos)

– Houston Rockets vai chegar na final de conferência. (DESASTROSO – O time se classificou para os playoffs nas rodadas finais e caiu na primeira fase do mata-mata. Péssimo)

– Lebron vai chegar a mais uma final da NBA. Todos vão torcer contra ele. (OK
Olha, a final reuniu dois dos maiores alvos do ódio dos torcedores nesta temporada. Lebron chegou à final e pelo menos metade da população mundial secou o cara, mas outra parcela muito grande torceu muito contra o GSW).

E aí? Dos 17 palpites, um foi medonho (sim, cagada apostar no Houston), quatro foram errados, quatro estavam certos mas com alguma ressalva e oito, ao meu ver, foram irrepreensíveis. Tudo bem que muitos deles eram óbvios, mas acho que já dá para tentar uma vaga na Central de Estágios da Mãe Dinah.

Ano que vem tem mais!

Page 2 of 2

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén